Comerciantes reclamam e Emdec nega lentidão

nas obras do BRT Ouro Verde

22/01/2019

Paulo Medina

 A Emdec (Empresa Municipal do Desenvolvimento de Campinas) negou a percepção de moradores e comerciantes sobre

uma possível lentidão nas obras do BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) no distrito do Ouro Verde. A obra

rasga avenidas importantes, como a Ruy Rodrigues, a principal e mais movimentada do distrito.


Hebert Aparecido, comerciante do ramo da construção civil do Vista Alegre há 21 anos, considera que o ritmo da obra é lento.
“Está havendo uma demora na execução da obra, a gente viu que a retirada das árvores e do asfalto foi bem rápida, foi a

primeira etapa da obra, mas tenho enfrentado uma dificuldade muito grande por conta dessa obra do BRT. Tenho visto que a sociedade não aprova essa obra por conta do transtorno, a dificuldade de locomoção está enorme, o prejuízo do comercio é

no faturamento, tem cliente que não vem mais na loja porque não tem como estacionar, eu não paro mais caminhão na porta

da loja para carga e descarga, dá impressão que diminuíram o contingente de pessoal para a obra, está bem devagar e tenho

a impressão que não vão cumprir o prazo para finaliza-la”, afirmou.


Um outro comerciante que não quis se identificar, disse que as obras do BRT em São Paulo, por exemplo, não paravam, eram

24 horas por dia, todos os dias, o que deveria acontecer também em Campinas, devido ao transtorno que causa na vida dos moradores e comerciantes.


A Emdec, porém, nega lentidão. “Não procede tal informação. As obras de implantação do BRT no município estão dentro do cronograma. Inclusive, em alguns pontos, em estágio avançado”, disse. No entanto a reportagem do Jornal Legal, circulou pelo trajeto do BRT e a sensação foi de no mínimo, que as obras estão muito lentas, em alguns trechos, literalmente paradas.


No Corredor BRT Ouro Verde, as obras se estendem pela Avenida Ruy Rodriguez e nas proximidades, na região da Avenida

das Amoreiras. Aliás, nos próximos dias, começa uma nova frente de obras na Amoreiras, no trecho entre a Avenida Prefeito

Faria Lima e o viaduto da Rodovia Anhanguera, informou a Emdec.


O BRT Ouro Verde terá 14,6 km de extensão, saindo da região central, seguindo pelas vias João Jorge, Amoreiras, Piracicaba,

Ruy Rodriguez, passando pelo Terminal Ouro Verde, Camucim até o Terminal Vida Nova. Nesse trajeto, serão construídas

quatro obras de arte (pontes e viadutos).


Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões.

São 36,6 km de corredores, com previsão de conclusão total em meados de 2020.

004.jpg

Jornal Legal © 2019 - Todos os direitos reservados