Comerciantes se reúnem para discutir possíveis prejuízos
com obras do BRT

11/09/2018

Paulo Medina 

Alegando prejuízos econômicos e ambientais, comerciantes do Ouro Verde se reuniram no dia 21 de agosto (antes da audiência pública onde foi possível tirar algumas dúvidas com o Executivo) e criticaram os impactos que as obras do BRT causarão. 

Maria Emídia Moraes de Freitas, proprietária da panificadora Bella Rainha, onde aconteceu a reunião dia 21, afirmou que
os serviços estão ocorrendo  de forma desorganizada.

 

“ A discussão é o que a obra vai causar na avenida, a obra está vindo de forma desorganizada, começou no Extra, parou na
ponte e agora quer começar aqui, ( Avenidas Ruy Rodrigues / Camucim na altura dos bairros Jardim Vista Alegre, Recanto do
Sol I e outros) um trecho muito longo parado, seis meses parado e a gente sabe que vai ficar muito mais, já estamos tendo
prejuízo com a destruição do ambiente, das árvores, e nosso prejuízo financeiro, nossos comércios, com funcionários para
pagar, tenho 34 funcionários, e tenho colegas que tem até mais, estamos muito preocupados e há poucos dias nos avisaram
que mudaram o trecho da obra, há desorganização total”, disse.

 

Antonio Marcos Souza, comerciante, chegou a dizer que a obra era desnecessária. “Vai bloquear as vias, o trânsito vai ficar horrível. A previsão é de seis meses de interdição, pedimos que essa obra não venha de jeito nenhum para o lado de nossos comércios,
não queremos, não é necessária essa obra aqui”, disse.

Hebert Aparecido Carchano, comerciante, disse que a obra veio para assustar. “A situação já é difícil, o movimento nos comércios
já tem caído bastante com a crise e essa obra veio nos assustar cada vez mais porque a situação do jeito que tá e mexendo em
udo na Avenida Ruy Rodrigues, além do que as árvores serão arrancadas, e como fica o meio ambiente, temos que entender
melhor esse projeto, vai impactar muito a natureza e nossa preocupação é com toda região.
Não é prioritária essa obra, precisa de mais investimento na educação e na saúde”, afirmou.

 

Participante da reunião, o vereador Filipe Marchesi (PR) defende interação entre comerciantes e Prefeitura e que as partes
cheguem a um acordo. Além disso, ele ajudou a criar a associação dos comerciantes do Ouro Verde.

“O projeto do BRT é bastante importante para a cidade, trará um impacto grande para a região de forma positiva,
só que temos de ter alguns cuidados, que foram discutidos aqui, o cuidado com o impacto para os comerciantes.

Meu compromisso é da criação da associação dos comerciantes da região e já estamos fazendo ata e criaremos estatuto para constituir essa associação, essa representatividade. O segundo ponto é que vamos marcar uma reunião com o presidente da
Emdec Carlos José Barreiro e o secretário de Relações Institucionais da Prefeitura Wanderley de Almeida para se posicionarem quanto às obras na Avenida Ruy Rodrigues, como será esse projeto, qual o impacto aos moradores e comerciantes, estamos preocupados e queremos esclarecer todas essas dúvidas e ter um acordo entre ambas as partes, pois é um projeto importante.
Tá faltando esclarecimentos e apresentar o projeto aos comerciantes”, falou.

 

Hamilton Santos, advogado que acompanhou a reunião engrossou o coro dos comerciantes. “O problema é que os comerciantes
da região estão sem informações, o projeto foi todo idealizado e está em fase de construção, mas não foi pensado no prejuízo causado aos comerciantes, são seis meses que o pessoal vai ficar no prejuízo, é preciso que o poder público apresente uma
proposta viável, uma solução. Vamos pedir audiência com o secretário de Transportes, vamos estudar a viabilidade de que se
realize o projeto de maneira que não cause tanto prejuízo aos comerciantes da região”.

comerciantes se reunem.jpg

Jornal Legal © 2019 - Todos os direitos reservados