Carreata pede melhores condições de trabalho a

profissionais do Hospital Ouro Verde

Paulo Medina

02/08/2020

No último sábado, dia 18, o Sinsaúde, sindicato que representa os profissionais de saúde, organizou uma carreata junto com os trabalhadores como forma de protesto a resposta negativa do Hospital Ouro Verde em negociar salários e a testagem imediata do Covid-19. A carreata iniciou às 8h e contou com a participação de aproximadamente 30 carros.

Os diretores do Sinsaúde chegaram por volta das 7h para distribuir cartas abertas e bandeiras aos trabalhadores, um trio elétrico e a unidade móvel do Sinsaúde guiaram os trabalhadores no trajeto. Os participantes da carreata foram até o Hospital Mario Gatti (que faz parte da rede de uma das administradoras do Hospital Ouro Verde), no Parque Itália, e logo após o discurso feito pelos diretores voltaram ao ponto inicial da manifestação.

“Os trabalhadores estão com o Sinsaúde, nós queremos dignidade em nosso trabalho, respeito e suporte nessa época de pandemia. Vamos lutar por salários dignos e testagem imediata”, disse o diretor do Sinsaúde, Paulo Sergio Pereira da Silva.

O Sinsaúde reivindica a antecipação salarial imediata de 2,05%, correspondente ao INPC; aumento real de 5%; adicional de insalubridade em grau máximo de 40% para todos, independentemente da função ou setor que atuam; pagamento de um abono salarial de R$ 500 enquanto durar a pandemia e reajuste salarial de 30% no vale-refeição e vale-alimentação, considerando que estes valores nunca foram reajustados.