Focos de incêndio explodem e geram até cortes de energia

CPFL e Defesa Civil orientam a evitar queimadas

Paulo Medina

02/08/2020

A quantidade de queimadas em Campinas e todos os seus distritos tem aumentado nesta estiagem e ocasionado cortes de energia

elétrica. Segundo a CPFL Paulista, já são 160 cortes de energia por causa dos focos de incêndio este ano. Focos esses que se espalham por áreas verdes e até mesmo por terrenos com grama baixa.


Os casos de queimadas aumentaram seis vezes mais. Foram 10 casos entre maio e junho do ano passado, contra 74 no mesmo período deste ano, segundo a Defesa Civil. Os dados fazem parte da Operação Estiagem. Ocorre que há tendência de aumento das queimadas entre julho e setembro. Conforme a CPFL, o calor do fogo pode gerar curtos-circuitos mesmo sem encostar na fiação. A mesma situação ocorre com a fuligem registrado em virtude das queimadas.

A CPFL orienta evitar queimadas em áreas próximas às redes elétricas, não soltar balões, não jogar cigarro aceso em matas, terrenos baldios, estradas e a informar o Corpo de Bombeiros sobre as queimadas.

Provocar incêndio ambiental é crime. Poderão ser aplicadas penalidades de advertência e multa, variando de 80 a 80 mil Unidades Fiscais de Campinas (UFICs), valores que variam de R$ 290 a R$ 290 mil, sem prejuízo das medidas de reparação e de compensação dos danos causados. Quando ocorrerem em áreas especialmente protegidas, o valor das multas é dobrado, podendo chegar a R$ 580 mil. 

A Operação Estiagem deste ano ganhou um reforço no monitoramento de áreas de incêndios com o uso de drone, além das imagens de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). “A preocupação é com os incêndios que agravam os casos de problemas respiratórios”, afirmou o diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado. Ao avistar um foco de queimada, o cidadão pode ligar para o 193 e acionar o Corpo de Bombeiros, que acionará os serviços municipais.

Baixa umidade relativa do ar

Campinas tem entrado em estado de atenção por causa da baixa umidade relativa do ar, por vários dias, durante esta estiagem. 

O alerta é dado pelo  Departamento de Defesa Civil de Campinas, baseado nos dados da Estação Ciiagro/IAC. É declarado estado de atenção quando a umidade relativa do ar está entre 20% e 30%.

A Defesa Civil recomenda evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h, umidificar o ambiente por meio de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol ou em áreas vegetadas e consumir muita água.

Mais informações sobre a umidade relativa do ar e demais alertas emitidos pela Defesa Civil no site https://resiliente.campinas.sp.gov. br/.

Jornal Legal © 2020 - Todos os direitos reservados