Pronto Socorro do Hospital Ouro Verde só tem um médico
de madrugada, reclama paciente

08/11/2018

Paulo Medina

A recepcionista Suzana Tavares, de 36 anos,  moradora da região dos DICs, está indignada com o número reduzido de médicos

no Hospital Ouro Verde após a meia noite.


Ela precisou de atendimento no pronto-socorro durante a madrugada e esperou por quase três horas para conseguir a consulta, mesmo tendo ela e mais uma pessoa aguardando médico no local. A demora se deu, explicou ela, porque só tinha um médico

e ele estava atendendo emergência.


“Eu precisei ir ao Hospital Ouro Verde  dei entrada 1h20, passei pela triagem e o médico foi me chamar 3h55, não tinha muita

gente, apenas eu e um senhor lá, e meu esposo, por causa da demora, foi na recepção e perguntou o que estava acontecendo porque o médico não chamava, aí falaram que só tinha um médico depois da meia noite para atender emergência e pronto-socorro

e naquele momento o médico estava atendendo emergência. O medico estava bem cansado, mas não tinha muita gente e nós estranhamos. Um casal chegou dizendo que após a meia noite as pessoas nem tentam ir ao hospital porque só tem um médico

e acabam deixando para ir cedo, que é quando lota”, afirmou a paciente.


A preocupação gira em torno da alta demanda a qual um médico é submetido em acumular sozinho os atendimentos no

pronto-socorro e de emergência. Com isso, o tempo de espera dos demais pacientes só aumenta.
“Não estou reclamando dos funcionários, da enfermagem, do médico, da recepção, reclamo porque é desumano ter somente

um médico à noite, segundo porque é perigoso, o cansaço pode fazer o médico dar um diagnóstico errado, passar uma medicação errada, antigamente tinha rodizio de três médicos de madrugada e era mais ágil, mas agora não tem”, destacou.
                 

A moradora do DIC 6, Angela Aparecida Pereira, ficou das 7h30 às 17h aguardando atendimento, no Pronto-Socorro do Hospital Ouro Verde. Ela estava com sinusite. Precisou fazer raio-x, mas só comunicaram a paciente que o aparelho estaria quebrado

no fim da tarde.


“Eu estava com tosse, engasgando, me sentindo mal, passei por triagem duas vezes porque uma vez fizeram errado, demorou

uma hora pra eu ser chamada, a médica me avaliou e disse que eu estava com sinusite, passou medicação e pediu raio-x.

Esperei mais duas horas para tomar medicação e esperei o dia todo para o raio-x até me avisarem no final da tarde que o

aparelho estava quebrado, poderiam avisar antes porque se eu soubesse que estava quebrado teria ido a outro hospital”,

relatou.


 “Após tudo isso retornei à médica, ela me deu a receita e pediu para voltar em dois dias se eu não melhorasse, porque

aí sim o aparelho estaria consertado, mas já estou melhorando”, completou.
A assessoria de imprensa da Prefeitura informou apenas que a paciente Suzana Tavares passou por uma triagem e por não

estar enquadrada em situação de urgência e emergência aguardou, pois o médico que atendia na unidade priorizava pacientes

em estado grave.


Sobre o aparelho de Raio X, a Prefeitura informou apenas que o raio-x está funcionando no momento.

        Vereador questiona número de funcionários no PS Ouro Verde

 O vereador Rodrigo da Farmadic (PP) apresentou requerimento questionando a Prefeitura de Campinas sobre qual será o número

de funcionários que atuarão no Pronto-Socorro Adulto do Hospital Ouro Verde após processo licitatório. Isso porque a Prefeitura publicou em diário oficial aviso de licitação cujo objetivo é a contratação de uma empresa para prestar serviços médicos na unidade após o escândalo de corrupção descoberto no caso da OS (Organização Social) Vitale.
O requerimento se deu em meio a uma onda de reclamações de demora no atendimento e falta de médicos no Hospital Ouro Verde.
Além disso, o parlamentar quer saber se o número de médicos e profissionais a serem contratados será suficiente para atender toda demanda da principal unidade de saúde da região.


O Pronto Socorro Adulto, assim como o Infantil, passarão por reforma total. O investimento nas obras é de R$ 3,4 milhões,

sendo R$ 3 milhões de recursos federais e R$ 400 mil de contrapartida municipal.
Além das obras, o Governo Federal disponibilizará R$ 662 mil para a compra de equipamentos e serão mais R$ 66 mil

de contrapartida da Prefeitura. A licitação foi vencida pela empresa Reforma Engenharia e Construções Ltda.


No PS Infantil serão construídos novos consultórios, recepção, salas de observação, de Raio-X, de isolamento, de conforto médico

e de enfermagem, de urgência e de inalação, além de banheiros com acessibilidade.

As novas salas serão feitas dentro do espaço físico existente no PS.


Já no Pronto Socorro Adulto do hospital, serão reformados os banheiros e a recepção.

O restante das obras acontecerá posteriormente em uma segunda fase.

PRONTO SOCORRO OURO VERDE.jpg

Jornal Legal © 2019 - Todos os direitos reservados