Menina do Ouro Verde vira mascote da Polícia Militar no Estado

Menina do Ouro Verde vira mascote da Polícia Militar no Estado

Do Jardim Aeroporto, Ketlyn Ellen Lima da Conceição sonha em ser oficial da PM

09/10/2018

Paulo Medina

Com apenas 7 anos e um profundo carinho e admiração pela Polícia Militar, Ketlyn Ellen Lima da Conceição, moradora
do Jardim Aeroporto, virou mascote da corporação no Estado de São Paulo.

Ketlyn sonha em ser policial militar e posta em seu perfil no Instagram fotos fardada. Ela já ganhou a simpatia e diversos
seguidores policiais. Ela representa braços importantes da PM, como o Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia),
e os comandos de policiamento de área como o CPI 2 e a primeira Companhia de Polícia Militar, na região do Ouro Verde.
Mike Nunes da Conceição, 41 anos, pai de Ketlyn, e bombeiro civil, destacou a paixão da filha pela corporação.
“Essa paixão dela pela PM começou com cinco anos de idade, ela conheceu meus colegas que são militares e viu eles fardados,
a partir daí veio a paixão , e pela paixão dela, alguns policiais se reuniram e fizeram a fardinha pra ela, que começou a usar, foi conhecer os batalhões e acabou sendo a representante deles em Campinas e região. Hoje, com sete anos, ela é mascote da PM
no Estado de São Paulo, representa o Baep, CPI-2,  47, e a nossa primeira Companhia, aqui da região”.

Para Ketlyn, explicou o pai, é um orgulho vestir a farda da PM. “Ela sempre está com os policiais militares tirando foto,
postando na página dela no Instagram, e pra ela é um orgulho vestir a farda da PM e representar nossos valorosos guerreiros,
que hoje não têm muito valor para o Estado, ela faz tudo isso visando que a categoria seja mais reconhecida e valorizada,
pois deixam a desejar no sentido de fornecer equipamentos, viaturas e melhores condições de trabalho”, disse Mike.
A maior parte dos policiais de Campinas e região acompanha o trabalho de Ketlyn e a conhece pela espontaneidade.
 
“Essa paixão veio de maneira espontânea, sou bombeiro civil, ela se comporta como uma policial militar, isso é dela, não
veio de mim. Não falo pra ela fazer postura, ela faz isso sozinha. Ela ficou emocionada, foi inexplicável, quando os policiais
deram a farda pra ela. Eles sempre cobram dela sobre a escola e ela é uma excelente aluna e sabe que pra ser uma policial
militar, tem que se dedicar aos estudos. Ketlyn também participa do Proerd, programa de enfrentamento às drogas”, disse o pai.
“O sonho dela é se tornar uma      oficial da PM e poder estar junto com a população porque ela gosta de se doar como um policial militar se doa, tudo indica que ela  seguirá este caminho”, completou.

Para o cabo Junior da Polícia Militar é gratificante ter a Ketlyn como representante da corporação.  “É muito gratificante pra gente
em nossa profissão ver crianças como ela, que gosta da Polícia Militar, que sonha em fazer parte da corporação e que , às vezes participa de eventos, sai pra rua fardada para demonstrar o quanto gosta da instituição, isso é muito importante nos dias de hoje”, disse.

pm1.png

O carinho demonstrado por ela se torna ainda mais importante diante do cenário de críticas associada à desvalorização
da Polícia Militar por parte dos governantes.

“A gente, infelizmente tem visto, que a população tem um certo receio com a PM, mas isso com um tempo as pessoas vão 
conseguir entender e ver que nós estamos e sempre estivemos à disposição para ajudar. Os cidadãos podem contar com a
gente, com soldados de boa índole. Temos nos empenhado com dedicação cada dia mais em prol da sociedade no 
enfrentamento à criminalidade, buscando fazer um bom trabalho e manter a ordem todos os dias”, concluiu o cabo.

pm2.png

Jornal Legal © 2019 - Todos os direitos reservados