Entre as zonas eleitorais de Campinas, a que inclui o Ouro Verde, 
foi a que teve maior número de votos para Bolsonaro
 

Apesar da maior quantidade de votos, foi o menor percentual entre as zonas, 52%. Haddad obteve 23%. 
Já em toda cidade o candidato do PSL, obteve 55%, e o do PT chegou a 15%

09/10/2018

Paulo Medina

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e o petista Fernando Haddad vão disputar o segundo turno da eleição presidencial.
O segundo turno acontecerá no dia 28 de outubro. Em Campinas, com 100 % das urnas apuradas, Jair Bolsonaro (PSL) recebeu 336.703 votos, 55,81% . Fernando Haddad (PT) ficou em segundo com 95.083 votos,  15,78%. 

 “Temos de acreditar no nosso Brasil. Não podemos nos recolher. Faltam três semanas”, disse Bolsonaro em transmissão
pelas redes sociais, acompanhado do economista Paulo Guedes, seu assessor econômico na campanha e eventual ministro da Fazenda em caso de vitória.

Ele ainda agradeceu aos brasileiros pelos votos que recebeu. Bolsonaro venceu em quatro regiões do país, perdeu somente
no Nordeste. “Tenho certeza que ampliaremos esta vantagem no segundo turno”, disse. No primeiro pronunciamento após a confirmação da disputa de segundo turno, Haddad afirmou haver "muita coisa em jogo" no pleito deste ano e sinalizou a busca
de apoio nas próximas três semanas de campanha.

O petista teve 28,95% dos votos válidos contra 46,26% de Jair Bolsonaro (PSL).
‘‘Esta eleição coloca muita coisa em jogo. O próprio pacto da Constituinte de 1988 está em jogo em função das ameaças que
sofre quase diariamente", afirmou. 

Jair Bolsonaro (PSL) teve a maioria dos votos válidos em 16 estados e no Distrito Federal. Fernando Haddad (PT) ganhou
em nove estados, a maioria no Nordeste. Ciro Gomes teve a maior votação apenas no Ceará, com 41% dos votos válidos.
 

No Ouro Verde
 

A zona eleitoral que mais votou em Jair Bolsonaro, PSL,  foi a 378, que inclui o distrito do Ouro Verde, com 66.304 votos,
mas o menor percentual entre as zonas, 52,10%, já Fernando Haddad, PT, 29.787, ou  23,41% dos votos, Ciro Gomes,
PDT, 10,66%, 13.564 votos, Geraldo Alckmin, PSDB, 4,94%, 6.289 votos, João Amoêdo, NOVO, 3,31%, 4.212 votos.
Estes foram os 5 mais votados no distrito.

A reportagem do Jornal Legal, percorreu o distrito e constatou uma votação  tranquila, com muito menos ‘‘santinhos’’
papéis de candidatos jogados nas ruas, ou seja, uma campanha mais limpa. 
Marcos  Daminele, apoio logístico da EE. Dr Enéas César Ferreira, do DIC 4, relatou falta de mesários na escola.
‘‘Foi tudo tranquilo, bem organizado, somente percebemos a falta de muitos mesários, mas a equipe gestora conseguir suprir
esta falta. A direção da escola vai fazer o levantamento do porque desta falta de mesários, mas acredito que o mal tempo,
colaborou para isso’’ afirmou Daminele.

Para o morador do Jardim Santo Antônio, Paulo Esteves, 46, catraca livre no dia da eleição, seria uma boa medida.
‘‘ Fica difícil prá população votar, tem que tirar dinheiro do bolso, principalmente num dia chuvoso como o de hoje, porque
muita gente vota distante de sua casa’’. Deveria liberar as catracas dos ônibus neste dia, prá facilitar  a vida das pessoas
’’sugeriu Esteves. Apesar da chuva era grande o número de eleitores nos colégios eleitorais do Ouro Verde.

 

 São Paulo terá segundo  turno entre Doria e França
 

Depois de muita disputa em torno do segundo lugar, o ex-prefeito João Doria (PSDB) e o governador Márcio França (PSB) concorrerão ao governo no estado de São Paulo no segundo turno. Doria teve 31,77% e França, 21,53% dos votos válidos.
Skaf (MDB) ficou em terceiro, com 21,09%. Em quarto, ficou o petista Luiz Marinho, com 12,66%.
João Doria é ex-prefeito de São Paulo, eleito em 2016. É formado em jornalismo e publicidade.

Foi apresentador de televisão.
O empresário, tem um grupo de marketing que promove eventos culturais e publicações.
Márcio França, atual governador do estado de São Paulo, é advogado e professor, foi vereador, prefeito, deputado federal,
secretário de estado e vice-governador. Assumiu o estado com a saída de Alckmin para disputar a eleição presidencial.

votos 1.jpg

Jornal Legal © 2019 - Todos os direitos reservados